Futuro do Espiritismo

Sérgio Biagi Gregório

Allan Kardec, na Revista Espírita de 1863, dissera que o desenvolvimento da Doutrina Espírita se processaria em 6 períodos: 1) curiosidade; 2) filosófico; 3) luta; 4) religioso; 5) intermediário; 6) renovação social. O período de curiosidade caracterizou-se pelos fenômenos das mesas girantes. O período filosófico coincidiu com o lançamento de O Livro dos Espíritos (18/04/1857). O período de luta identificou-se com o auto-de-fé de Barcelona (1860), em que os livros espíritas foram queimados em praça pública. Não houve explicação para o período intermediário. O período de renovação social preconizava a mudança de hábitos e atitudes de toda a humanidade.

Pelo que se depreende dos períodos analisados, o futuro do Espiritismo está vinculado à renovação social. Por que? Porque o Espiritismo, sendo uma crença UNIVERSAL, conterá toda a verdade. Quer dizer, chegará um momento em que as instituições sociais (Direito, organizações estatais e empresas de um modo geral) receberão a influência dos Espíritos superiores e mudarão completamente o relacionamento entre os superiores e os inferiores. Todos serão tratados como seres humanos, não importando a posição social que desempenham.

A idéia espírita, que existe desde que o homem teve a inteligência, deverá prevalecer no seio da sociedade. Uma forma de visualizá-la é compará-la à luz. Observe que a luz caminha, sem ruído, na escuridão e nas sombras. Ela vai iluminando todo o lugar por onde passa. Não há alarido, nem barulho estridente. O mesmo deve acontecer com a idéia espírita. Não há necessidade de buscar prosélitos, sair à praça pública, persuadir este ou aquele para deixe a sua religião e freqüente o Espiritismo. Cada um vai tomando consciência do fato e, naturalmente, seu pensamento se dirigirá para a causa espírita.

Vejamos a lógica da idéia espírita. Quando a humanidade se conscientizar da lei de causa e efeito, ou seja, que toda a causa provoca um efeito ou que todo o efeito é proveniente de uma causa, todos nós estaremos cerceando os nossos gestos menos felizes. Suponha um criminoso, que tenha recebido a influência do Espiritismo. Possivelmente, no justo momento em que ele estiver preste a cometer um delito e, temendo sofrer as conseqüências na vida futura, poderá recuar e evitar o crime.

Ao analisar a Lei do Progresso, os Espíritos informam-nos de que o Espiritismo será uma crença comum e marcará uma nova era na História da Humanidade, porque pertence à Natureza e chegou o tempo em que deve tomar lugar nos conhecimentos humanos. Assim sendo, é preciso saber esperar o momento oportuno para tal transformação, pois as idéias novas não são aceitas incontinenti. Os espíritas deveriam proceder como o semeador que, depois de jogar a semente na terra, cuida de seu crescimento, esperando o momento certo para colher os frutos.

O futuro do Espiritismo depende do que os espíritas estão fazendo no presente. Sendo assim, procuremos nos regozijar sempre, quer estejamos alegres ou tristes, pois criaremos um clima de muita paz e harmonia em volta de nós mesmos.

5/10/2004

Copyright © 2010: Centro Espírita Ismael
Blog Facebook Twitter