O Orador e a Apresentação em PowerPoint

Tese central: você é o ator principal; todas as atenções devem estar voltadas para a sua pessoa. É você que tem de levar o script até o fim.

Parta do princípio de que não existe uma apresentação ideal; quando muito, conseguimos uma adequação ideal à nossa apresentação. Tenha sempre em mente que o recurso visual é um auxiliar. Faça o seguinte teste: e se meu tempo de exposição fosse reduzido pela metade, o que eu faria?

Dê preferência aos fundos claros: se fosse para aparecer não seria fundo seria frente.

Não apague as luzes. Lembre-se de que numa peça teatral o holofote ilumina o ator.

A fonte do título deve ser tamanho 32; o texto, tamanho 24. Nada de espremer para que caiba tudo em uma única tela.

Evite textos inteiros com maiúscula.

Tudo o que você fizer tem que ser visto de longe.

Tela não é para ler textos. Elimine sem piedade; as palavras precisam ser explicadas e não lidas. Escolha tópicos, palavras soltas, figuras e gráficos para que você possa explicar durante a sua apresentação.

Uma excelente apresentação de meia hora deve conter entre 6 e 10 telas.

Ensaie várias vezes para assimilar o conteúdo de sua exposição.

Para refletir: as pessoas enxergam você e a tela ou somente a tela?

Extraído de

FERNANDES, Álvaro. Quem não tem Problemas de Comunicação? São Paulo: Idéia e Ação, 2003.

São Paulo, agosto de 2008.

(Org. por Sérgio Biagi Gregório)

Copyright © 2010: Centro Espírita Ismael
Blog Facebook Twitter