Análise Conceitual

Pensar com conceitos é o modo mais prático de estimular e tornar mais eficazes a comunicação e a compreensão entre as pessoas.

Geralmente não dispomos de muito tempo para analisarmos o significado ou os significados de uma palavra. Se prestássemos mais atenção neste detalhe, poderíamos melhorar consideravelmente a transmissão dos nossos pensamentos. 

Na análise dos conceitos, devemos distinguir 3 tipos de perguntas:

a) perguntas sobre fatos;

b) perguntas sobre valores;

c) perguntas sobre conceitos.

Exemplificando:

(i) É provável que o comunismo se espalhe pelo mundo?

(ii) O comunismo é um sistema desejável de governo?

(iii) O comunismo é compatível com a democracia?

A primeira é uma pergunta sobre fatos. Pode ser que não saibamos dar uma resposta definitiva, mas as únicas evidências relevantes para a resposta são fatos sobre o comunismo e fatos sobre o mundo.

A segunda pergunta pede que atribuamos algum tipo de valor ao comunismo. Ele é bom? É ruim?

A terceira pergunta é questão de conceito. Temos de considerar se o conceito de comunismo "cabe" ou "não cabe" no conceito de democracia.

As perguntas sobre conceitos parecem estranhas porque não sabemos como responder a elas.

Do mesmo modo, trabalhamos com palavras a vida inteira, usamos palavras com sucesso para nos comunicar com nossos semelhantes; mas nem por isso nos conscientizamos dos significados das palavras.

Suponha que alguém diga "Aquele é um bom livro", e nós lhe perguntemos "O que você quer dizer com 'um bom livro'?" A pergunta requer que o outro  expresse os vários sentidos da palavra bom. Não estamos muito interessados no que diz o dicionário.

Na análise conceitual, há a dificuldade de temperamento: pessoas que têm idéias muito "arrumadinhas" ficam com a impressão, ao final de uma discussão sobre conceitos, de que ninguém chegou a nenhuma conclusão: "eles não chegaram a lugar nenhum"; ninguém apresentou "a resposta".

Diante dessas observações, o orador espírita deve sempre se preocupar com uma investigação mais profunda dos termos que está utilizando em sua peça oratória.

Fonte de Consulta

WILSON, John. Pensar com Conceito. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

(Org. por Sérgio Biagi Gregório)

 

Copyright © 2010: Centro Espírita Ismael
Blog Facebook Twitter