Ajuda-te, e o Céu te Ajudará

Sérgio Biagi Gregório

SUMÁRIO: 1. Introdução. 2. Considerações Iniciais. 3. O Texto Evangélico. 4. Necessidade e Trabalho: 4.1. Necessidade; 4.2. Descobertas e Invenções; 4.3. Necessidades Espirituais. 5. A Reencarnação: 5.1. Uma Única Vida; 5.2. A Tese das Várias Vidas; 5.3. O Fundamento da Reencarnação. 6. Consequências da Exigência do Trabalho: 6.1. Deus não Libera o Homem do Trabalho; 6.2. A Tarefa dos Espíritos; 6.3. O Significado das Palavras de Jesus. 7. Conclusão.

1. INTRODUÇÃO

Como interpretar a frase “ajuda-te, e o céu te ajudará”? Ela nos revela algo gratuito por parte da divindade? A oração, por si só, liberta-nos dos pensamentos negativos, dos nossos problemas, das nossas dificuldades? Que lições podemos tirar deste capítulo do Evangelho?

2. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Este subtítulo, juntamente com “Olhai as Aves do Céu” e “Não vos Canseis pelo Ouro”, está posto no capítulo XXV Buscai e Achareis, de O Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec.

O Evangelho de Jesus Cristo deve ser uma bússola para nós outros que ainda estamos demasiadamente apegados à coisas materiais.

O Espiritismo, em seu tríplice aspecto de filosofia, ciência e religião, é um libertador de consciência, como nos ensina o Espírito Emmanuel.

Embora a religião seja interpretada como consequência da ciência e da filosofia, o Evangelho do Cristo não deixa se ser uma peça importante na mudança de comportamento das criaturas.

O Evangelho do Cristo deve nos levar a um melhor conhecimento de nós mesmos.

“Guardem a certeza de que o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo não é apenas um conjunto brilhante de ensinamentos sublimes para ser comentado em nossas doutrinações — é Código da Sabedoria Celestial, cujos dispositivos não podemos confundir”. (Do livro Voltei, Irmão Jacob)

3. O TEXTO EVANGÉLICO

1. Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque todo o que pede, recebe; e o que busca, acha; e a quem bate, abrir-se-á. Ou qual de vós, porventura, é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, porventura, se lhe pedir um peixe, lhe dará uma serpente. Pois se vós outros, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos Céus, dará boas dádivas aos que lhes pedirem. (Mateus, VII: 7-11).

4. NECESSIDADE E TRABALHO

4.1. NECESSIDADE

Por que trabalha o homem? Para atender à sua necessidade. O que é uma necessidade? É a consciência de que nos falta algo. Por que nos falta algo? Porque a necessidade, sendo um estado de espírito e um atributo do homem subjetivo, impõe ao homem este ou aquele desejo.

4.2. DESCOBERTAS E INVENÇÕES

No processo evolutivo do ser humano, há referências ao Paleolítico, também conhecido como Idade da Pedra Lascada. Nessa época, o ser humano aplica a sua inteligência na busca de alimentos, de se preservar do meio ambiente, de se defender dos inimigos etc. Conforme foram ampliando as suas necessidades — de conforto e bem-estar —, as pesquisas e descobertas científicas ampliaram sobremaneira a oferta dos bens procurados.

4.3. NECESSIDADES ESPIRITUAIS

Conforme foram aumentando a disposição das coisas materiais, principalmente pela aplicação da ciência e dos métodos teóricos experimentais, o ser humano se vê ante a necessidade espiritual, ou seja, o conhecimento das coisas do Espírito, pois, apesar da fartura dos bens de consumo, ele almeja algo além da matéria.

5. A REENCARNAÇÃO

5.1. UMA ÚNICA VIDA

Qual o progresso que uma alma poderia realizar em uma única existência? Muito pouco ou quase nada ante a imensidão de conhecimento que há na face da Terra.

5.2. A TESE DAS VÁRIAS VIDAS

O Espiritismo, defendendo o princípio da reencarnação, corrobora com a necessidade da evolução, pois a alma precisa de várias idas-e-vindas, para atingir o nível de perfeição que a Lei do Progresso exige de cada um de nós.

5.3. O FUNDAMENTO DA REENCARNAÇÃO

O homem de hoje é mais evoluído do que o de ontem porque, passando pelas suas provas e expiações, resolveu por sua livre e espontânea vontade aderir ao progresso, à lei natural, que é a mesma para todos. O progresso que não conseguimos em uma existência, podemos obtê-lo na próxima.

6. CONSEQUÊNCIAS DA EXIGÊNCIA DO TRABALHO

6.1. DEUS NÃO LIBERA O HOMEM DO TRABALHO

Suponha que Deus tivesse nos liberado do trabalho físico. O que aconteceria com os nossos membros? Ficariam atrofiados. E se nos tivesse liberado do trabalho intelectual? Permaneceríamos na infância da humanidade.

6.2. A TAREFA DOS ESPÍRITOS

Os Espíritos não nos poupam do trabalho da pesquisa, do esforço em melhor compreender a natureza, em saber dispor a matéria prima da melhor forma para o progresso individual e social. A própria codificação do Espiritismo foi obra de pesquisa do seu Codificador, Allan Kardec.

6.3. O SIGNIFICADO DAS PALAVRAS DE JESUS

Peçamos luz para clarear o nosso caminho, e ela nos será dada; peçamos força para resistir ao mal, e os bons Espíritos nos auxiliarão com suas inspirações; peçamos bons conselhos, e eles nos serão dados.

7. CONCLUSÃO

Ajuda-te, e o céu te ajudará deve se fundamentar no esforço próprio, em primeiro lugar, e o próprio esforço resultará em ajuda do mundo espiritual ao nosso trabalho de progresso, tanto físico como espiritual.

São Paulo, junho de 2021.

Copyright © 2010: Centro Espírita Ismael
Blog Facebook Twitter